Nuno Crato na TVI

by

http://www.youtube.com/watch?v=Ns5OsW-aTy8&feature=player_detailpage

Ensino superior a partir dos 23 minutos…

A catástrofe anunciada  nas colocações dos alunos nas escolas de engenharia (principalmente nos politécnicos) aconteceu!

O ministro continua anunciar a aposta nas engenharias, mas basicamente impede muitos dos alunos dos cursos tecnológicos  de concorrer a estes cursos. Os alunos simplesmente não têm as condições exigidas (matemática + física/química)!

E aqui temos, silenciosa e indiferente, a reestruturação Gago-Cratiana da rede!

Se acharem conveniente ponham  isto no fórum.

Cumprs,

LOl”

Anúncios

6 Respostas to “Nuno Crato na TVI”

  1. nsousa254 Says:

    Ninguém está a impedir os alunos. Eles sabem muito bem que para entrar numa engenharia precisam de mat e FQ. E o problema nem é a matemática, é a FQ. A eng.ª informática, que só precisava de prova de mat, teve muita procura.

    O que estava a acontecer era que os alunos entravam nas engenharias sem FQ e depois lá dentro tinham que aprender essas matérias, começando ao nível do liceu e frequentemente não passando desse nível. Isso não faz sentido no ensino superior.

    • lolivei Says:

      Como não está a impedir se nos cursos tecnológicos os alunos tem de se autopropor a exame? Ou seja, estes alunos tem de realizar provas que não constam do seu curriculum (a FQ, que constitui o novo requisito).
      Por exemplo (e cito o caso que conheço), como é possível que um aluno que tenha tirado um curso tecnológico de electricidade não possa, com base nas provas que realizou no seu projecto educativo, não cumprir os requisitos para entrar em engenharia electrotécnica?

      O caso de eng. informática, por não ter sofrido alterações no processo de acesso, só confirma este cenário.

      Muitas instituições do superior criaram os “anos zero” para tentar “apanhar” estes alunos e prepará-los para as provas de acesso. E ganhar uns trocos no processo (o que não me choca…)

      Os alunos vão ganhar agora consciência desta situação (muitos só se aperceberam quando já estavam no 12º ano), pelo que espero que os ingressos aumentem nos próximos anos. Não sei é se será a tempo…

    • nsousa254 Says:

      Bem, confesso que não sei exatamente o que é um ‘curso tecnológico de eletricidade’, mas uma coisa sei: para se ser engenheiro eletrotécnico tem de se saber física. E na universidade deve-se ensinar física universitária e não física do 12º ano. Mas pronto, posso estar errado.

      • lolivei Says:

        Pois há para todos os gostos: cursos profissionais, tecnológicos e agora também vocacionais (nem quero perceber…). Por exemplo um curso tecnológico da área de electricidade (electrotecnia se quiser):
        http://www.tomascabreira.info/oferta/0809/noite-electro.pdf
        (note-se que aqui a Fisica-Quimica é B, que não tem prova final.. )

        Ou um curso profissional:
        http://esfhelectronica.no.sapo.pt/cursos/TIE_PlanoCurricular+PerfilDeDesempenho+Conteudos.pdf

        FQ no 12º ano? Onde?
        (mas note-se que a FQ exigida pode ser do 10º/11º anos)
        Adicionalmente, estes alunos tem estágio integrado nestes cursos, que, ao que me dizem, dificultam a realização dos exames.

        Não discuto obviamente se a FQ é essencial para os cursos de engenharia. O problema é que alguns alunos não realizam as provas que permitem o acesso aos cursos que desejam.

        E o mais absurdo é que estes alunos são os mais vocacionados para estes cursos e os que mais conhecimentos práticos possuem sobre estas áreas técnicas específicas. São também, em muitos casos, os que mais dificuldades tem nas ciências básicas. Por isso, quando acedem ao superior, ficam muitas vezes a pastar na tal física universitária…

        Por isso muitos se candidatavam aos cursos dos politécnicos, onde reconheço, os programas são muitas vezes adaptados para suprir estas lacunas.

        Muitos destes alunos não puderam este ano candidatar-se (muitos por culpa própria) e as colocações nos politécnicos ficaram como todos sabemos.

        Também aqui a casa foi construída pelo telhado, pois as alterações no acesso deviam ter tido previamente as devidas alterações no programa destes cursos tecnológicos e profissionais.

        Mas claro, tudo isto é inocente. Reestruturação da rede? Pura coincidência!

  2. F. Says:

    Desta vez falou dos Politécnicos…já é um avanço!

  3. lolivei Says:

    Pode então deduzir-se daqui que o regime transitório continuará em vigor, pelo menos, em 2013?
    http://www.publico.pt/Educação/crato-rejeita-excepcao-no-superior-e-diz-que-valorizacao-salarial-decorre-da-lei-1564924

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: