Orçamento de Estado

by

Acabo de verificar que uma outra força sindical, de menor relevo no ensino superior mas predominante no ensino não superior, está a denunciar a depreciação das transferências do orçamento de estado para a Educação, fazendo referência ao orçamentado para o Ministério da Educação (com um aumento marginal, que é inferior à inflação).

Uma consulta rápida ao orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior mostra que, apesar do Contrato de Confiança e dos discursos públicos, o orçamento do ensino superior e ciência e tecnologia será reduzido.

Em tempos de crise corta-se nas despesas correntes, compreendo.

Os Ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior correspondem a investimento. No intangível, talvez, mas investimento.

Lembro-me de umas perspicazes e nobres palavras de um então ex-Ministro que dizia mais ou menos isto: que cada cêntimo gasto na Ciência, Tecnologia e Educação era um cêntimo que não era gasto noutros sectores menos produtivos da vida. Recordam-se quem era o autor das palavras?

Anúncios

Etiquetas: , , ,

8 Respostas to “Orçamento de Estado”

  1. josé puga Says:

    Quem considera que a Ciência, Tecnologia e Educação são caros que experimente o preço da ignorância.

    • moutinho Says:

      Não conseguiria exprimi-lo melhor!
      Infelizmente, temos sido mergulhados nessa experiência. Aspiramos a respirar uma golfada de ar à superfície, dizem-nos que é possível, mas não nos deixam!

  2. evespertina Says:

    Mas digam-me uma coisa, ainda acreditam que os sucessivos governos que temos tido estão empenhados em ter um povo culto e instruído? Que intentos serviria um povo desses? Como iriam garantir as suas capelinhas e impunidade os governantes se o povo fosse culto?
    Numa perspectiva destas não acham que, na óptica de quem pretende manter-se no poder se gasta demasiado dinheiro nestes pelouros?
    Serei eu a ficar demasiado crua, ou a vossa ingenuidade não tem base de sustentação? Eu gostava de conseguir pensar como vocês, pelo menos restava-me o doce sabor da esperança. Vão à história, não aquela que exalta os feitos gloriosos dos Portugueses mundo fora. Procurem as motivações que culminaram nos nossos feitos históricos e digam-me se continuamos ou não o mesmo povo.

    • Marquês Says:

      Acho esta prosa muito complicada. Depois do ler a imagem do sabor e também a outra imagem da esperança ficou-me a dúvida: afinal, o que pensa a autora sobre esta coisa que é o processo que está em curso na AR relativamente de revisão do estatuto de carreira docente no politécnico?

      • evespertina Says:

        Não são imagens, são figuras de estilo.
        Depois da sua prosa, ficou-me também uma dúvida: o que lhe interessa a si saber qual a minha opinião acerca de tal assunto se esse assunto nem está a ser tratado neste post?
        Se quiser conhecer a minha opinião vá ler os post que foram publicados desde Abril de 2009.

      • MG Says:

        MARQUÊS;
        Tu achas sempre tudo muito complicado.
        Talvez porque tu sejas uma pessoa sempre muito complicado.
        Nunca te vi a acrescentar valor por estas bandas.
        Persegues a Evespertina e pouco mais.
        Foste daqueles que guardou a garrafa de champanhe no dia 26, já se vê.
        A Evespertina respondeu-te à letra, mas tenho a sensação de que que merecias ouvir mais.
        Apareces por aqui de quando em vez e invariavelmente não acertas uma.
        Não gosto do teu estilo de inquisidor.

  3. Catarina Says:

    Afinal o que vão decidir na reunião do dia 4? Desculpem a pergunta.

    • NSousa Says:

      No dia 4 vai ser posta a votação os artigos restantes de alterações ao regime transitório do ECPDESP. Até agora só o artigo 6º foi votado (e aprovado).

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: